Para quem utiliza a internet há pouco tempo ou para quem esteve menos atento na última década, poderia parecer que os vídeos online sempre estiveram presentes da forma que os vemos hoje, ou seja, a toda a hora e em todo o lado.

Hoje em dia não tem site de relevo que não disponibilize um ou mais vídeos em seus conteúdos. Podem ser vídeos que fazem muito sentido, como num canal de informação (estações de TV ou rádio, ou mesmo jornais online) com as últimas notícias, num site esportivo com os lances mais marcantes do futebol, em sites de vídeos tutoriais, em que o filme ajuda a transmitir a informação de forma mais clara.

Mas depois tem também todas as redes sociais onde parece que todo o mundo tem algo para mostrar a toda a hora, do vídeo com os amigos até transmissão ao vivo de um concerto.

Mas é preciso recuar até 2004/2005 para perceber onde se iniciou a revolução dos vídeos online.

Em 2004 surgiu a plataforma Vimeo enquanto 2005 viu surgir a gigante YouTube e o Dailymotion. Esses são os grandes sites de vídeos online que revolucionaram a forma como vemos o mundo, mas também a forma como atualmente o podemos dar a ver a nossa própria perspetiva.

Essas plataformas vieram dar voz a quem quer que tenha acesso à internet e a qualquer dispositivo que permita gravar imagens e som.

E o alcance que um vídeo pode ter online é quase inimaginável. Só a Vimeo registava no final de 2013 mais de 100 milhões de visitantes todos os meses, enquanto a Dailymotion tem seus conteúdos disponíveis em 18 línguas e mais de 300 milhões de visitantes mensais.

A internet mudou a forma de comunicar e os vídeos online vieram dar a possibilidade de cada um se exprimir com total liberdade.